sexta-feira, 13 de novembro de 2009

XPD 2009 - Dia 5

A última etapa da prova aproxima-se e para finalizar em beleza a etapa é constituída por seis secções que totalizam aproximadamente 300km por percorrer de Vila do Rei a Peniche.

Etapa 5 – Partida em Vila do Rei
S1 – Pedestre (Penedo Furado) -> S2 -Canoagem (Aldeia do Mato) -> S3-BTT (Bairro)->S4 - Pedestre (Alvados)->S5 - BTT(Foz do Arelho) ->S6 – Pedestre (Peniche)

Esta etapa tem ainda três “cuts”: C3 - BTT Vila do Rei ->Aldeia do Mato (salta a secção um e dois); C4 e C5 saltam respectivamente a secção quatro e seis que substituem as pedestres por BTT.

Os Greenland ao optar pelo corte na etapa quatro chegaram cedo a Vila do Rei (aproximadamente 13:30) no entanto só podem partir para a etapa cinco quando a primeira equipa sem cortes terminar a etapa quatro e entrar na etapa cinco. Estava prevista a chegada da primeira equipa entre as 17:00 e 18:00 horas o que deixa os Greenland com tempo para descansar e definir estratégia para a última etapa.

A assistência faz o chamado “trabalho de casa” para esclarecer os “cut’s” e o horário de entrada e fecho nas secções. Ao analisar a longa etapa e por saber da possibilidade de transportar os kayaks durante 2km sem “trolley” (percurso com muita pedra) na secção de canoagem a equipa decidiu utilizar todos os “cut’s” e realizar as restantes secções da etapa. O primeiro “cut” com abertura às 00h do dia 12 deixou a equipa apreensiva pela longa paragem.

A primeira equipa saiu para a etapa às 19h e apenas pelas 23h a equipa recebe informação contraditória relativamente à secção de canoagem. Apenas seria necessário transportar os kayaks por 500m. A adrenalina voltou a pairar e a equipa decide mudar a estratégia e abandonar o primeiro corte. No entanto pensar que já poderiam estar na etapa há quatro horas a trás é um sentimento ingrato. Com o stress e “burburim” que envolve uma saída inesperada a equipa voltou rapidamente à prova para iniciar a primeira secção da etapa (S1).

Os Greenland chegaram por volta das 9:30 à Aldeia do Mato depois de realizarem a S1 e S2 da etapa. A expressão de cansaço era evidente, confirmou-se a necessidade de transportar os kayaks por 1,5km e a chuva durante a noite não deu tréguas a este percurso. Apesar dos contratempos a equipa ficou satisfeita por ter arriscado obtendo assim 4 CP’s nas duas secções (a opção de corte apenas permitia obter 1CP).



Depois de um pequeno-almoço e uma reconfortante muda de roupa os Greenland seguem com energias renovadas para a secção três, um BTT de 44km até à localidade de Bairro.


“É preciso acreditar” foram as palavras de um amigo de aventuras o Feijão quando a equipa pensou em mudar de estratégia relativamente ao primeiro corte da etapa. A equipa acreditou, arriscou e conseguiu ultrapassar o desafio. São estes momentos que tornam as corridas de aventura especiais pela atitude e pela coragem de arriscar.

Sem comentários:

Publicar um comentário